Banner

julho 07, 2018

A Bíblia a Escrita e o Alfabeto




Somente depois de serem decifrados os principais idiomas antigos é que se tornou possível reunir indícios de como e quando foi desenvolvida a escrita. Isso também não se referia a uma mera questão acadêmica.
 
Entretanto no século XIX, o que dominava era a opinião embasada em " evidências cientificas " de que a escrita não foi desenvolvida senão depois da época de Moisés, de modo que seria impossível que os cinco primeiros livros da Bíblia tivessem sido escritos por Moisés, sendo assim, as primeiras escritas  das Escrituras eram em sua essência falsas.

 
Entretanto, o estudo cuidadoso e detalhado das evidências tem demostrado que a escrita foi desenvolvida aproximadamente em 3150 a.C. ou seja, mais de 1000 anos antes de Abraão e mais de 1500 anos antes de Moisés.


1 - A Bíblia e a Escrita


O surgimento da escrita é sem dúvida, uma das invenções de maior relevância da história da humanidade. A escrita foi a marca divisória entre o que conhecemos como pré-história e história, entre o passado que podemos conhecer somente remanescentes físicos que se refere aos monumentos, implementos, resto humanos, e o passado que também podemos conhecer, até um certo ponto, através de textos escritos.

 
Sem os textos escritos para nos auxiliar para a reconstrução do passado, certamente estaremos limitados a conjecturas e suposições. Um indício considerável é o fato de que a frequência com que os objetos de sociedades pré-literárias são identificados como sendo "objetos religiosos" isso significa frequentemente que não termos a ideia da sua verdadeira finalidade.

 
A escrita foi inventada para atender ás necessidades prática de uma sociedade complexa.A partir do aumento do comércio, se tornava óbvio que era insatisfatório manter o controle das remessas, das mercadorias e dos pagamentos através do uso de pedras de contagem riscadas com símbolos  de objetos ou de animais.

 
Aproximadamente no ano 3100 a.C., os sumérios da Mesopotâmia criaram um sistema de centenas de pictogramas que se refere aos desenhos que representam coisas especificas na maioria das vezes eram simplificados, e também de sinais que representavam medidas e números. Esses sinais eram impressos em tábuas de barro, e isso possibilitou a manutenção de registros de alguma maneira permanentes.

 
A partir do momento em que a escrita passou a serem utilizados, os símbolos complexos se tornaram cada vez simplificados a simplificação não é uma invenção moderna como afirmam alguns, mas sim acabaram tendo formas simples, abstratas, e geométricas.

 
No idioma português,  podemos empregar alguns símbolos em lugar de algumas palavras inteiras, por exemplo: @, #, $, %, &. A ideia de que era possível captar a linguagem através da escrita não demorou em viajar pelas estradas comerciais em direção ao Oriente e ao Ocidente.

 
Os elamitas que residiam na região leste adotaram a nova escrita, e de lá essa escrita viajou para a Índia e depois para a China. Quando os egípcios ficaram sabendo da arte da escrita, criaram, ao contrário dos assírios e dos babilônios, que fizeram uma adaptação dos símbolos mais antigos da escrita, que se refere a símbolos próprios no caso os hieróglifos.


2 - A Bíblia e o Alfabeto


Depois da invenção da escrita, o avanço de maior importância foi a invenção dos símbolos fonéticos que se refere ao alfabeto. Cada palavra ou sílaba já não exigia um símbolo separado. Qualquer palavra poderia agora ser expressa em uma quantidade de símbolos que variava entre 20 a 30 símbolos.

 
A invenção da escrita alfabética é geralmente atribuída aos fenícios, que residiam no norte de Canaã, embora não saibamos de fato exatamente onde e quando o alfabeto mais antigo passou a existir ou foi inventado.

 
O que se sabe é que todos os alfabetos posteriores foram derivados do fenício, ou pelo menos criados ou inventados através da influência de seus derivados. Inicialmente, os fenícios não tinham símbolos para as vogais, mas somente para as consoantes.

 
O alfabeto hebraico, assim como todos os alfabetos, é originário do alfabeto fenício e também tem sinais somente para as consoantes. Posteriormente, quando o alfabeto deixou de ser um idioma vivo, surgiu a necessidade de se acrescentar vogais para ter a certeza de que o texto seria lido de maneira correta.

 
Isso foi realizado aproximadamente em 500-1000 d.C. pelos estudiosos judeus chamados de massoretas, que indicavam as vogais por meio de pequenas linhas e pontos colocados dentro, embaixo e em cima das consoantes.

 
Hoje, o hebraico, que voltou a ser o idioma vivo, é novamente escrito sem vogais. A desvantagem do alfabeto é que qualquer texto escrito só poderá ser entendido por aqueles que falam o idioma específico.

 
O uso de símbolos para indicar palavras ou ideias torna possível que um idioma, por exemplo, o idioma chinês, seja lido e entendido por pessoas que falam diferentes dialetos e não podem entender umas á outras quando falam. O terceiro avanço importante, depois da escrita e do alfabeto, foi a invenção da imprensa, que revolucionou o mundo.  A imprensa foi inventada por Johann Gutenberg no século XV.


3 - A Bíblia, a escrita e os massoretas


Os massoretas eram estudiosos judeus que foram responsáveis pela transmissão do texto hebraico do Antigo Testamento e desenvolveram os sinais vocálicos e outros comentários críticos para esse texto, conhecidos como texto massorético é identificado com as inicias (TM). O (TM) Texto Massorético é o texto hebraico básico para todas as versões modernas do Antigo Testamento.


Frase: Quanto mais temos conhecimento da Bíblia o que ela significa e como podemos praticar essa verdade em nossa vida, mais convincentes nossas palavras serão. Felipe Marques.





ARTIGOS ÚTEIS PARA VOCÊ!

- A Origem da Bíblia
- A Bíblia e as Bibliotecas
- A Formação do Antigo e do Novo Testamento
- Traduções da Bíblia
- Como ser um blogueiro cristão?
- A onde Deus não intervém
- 15 princípios que todo líder de louvor deve ter
- 17 Exemplos de liderança de Jesus
- Tratando a Bíblia como autoridade




ATENÇÃO!


Você que está lendo este artigo agora, quero oferecer a você uma série sobre A VIDA DE JESUS com 12 artigos para você ler e compartilhar com seus amigos, família e todas as pessoas que você conhece e que ainda não conhece Jesus e nem O aceitou como seu único e suficiente Salvador. Ficou interessado (a)? Clique nas opções abaixo do banner e leia todos os artigos de graça.
 





Hey,
 

O que você achou deste conteúdo? Conte nos comentários. E aproveite também para nos seguir nas redes sociais como: Facebook | Instagram | Google + | YouTube | Assinar Feed
 
 
Foto: Pixabay
Fontes: Manual Bíblico de Halley Editora Vida, Dicionário da Bíblia de Almeida Editora Sociedade Bíblica do Brasil e Revista Escola Editora Abril


 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu comentário é muito importante para nós, aqui não aceitamos ofensas, preconceito, palavras de ódio e intolerância. Todos os comentários deverão ter nome identificado. Obrigado Por Comentar!.

Copyright © No Teu Altar - 2018. Todos os direitos reservados. Reprodução do conteúdo somente com autorização por escrito. Web Design: Garota Criativa. Inicio NTA