dezembro 02, 2017

Israel a terra prometida, suas planícies e estações

 
 
 
Grande parte da história na relatada Bíblia ocorreu na terra de Israel e o seus arredores. Entender a área geográfica de Israel e seus arredores vai trazer um valioso estudo dos fatos bíblicos que ocorreram nessa região. Fica também uma dica para você que ministra a Palavra de Deus em sua Igreja local, estudar geografia bíblica é essencial, infelizmente e uma matéria que muitos desprezam, e vem ridicularizando os ministros do evangelho ano após ano.
 

Já ouvi coisas absurdas ditas em cima do púlpito por ministros da Palavra de Deus que me deixou enojando, com tamanho relaxo e falta de conhecimento sobre o assunto infelizmente só existem dois tipos de cristão: O estudioso e o relaxado.


Pra você ter uma idéia Israel é um país com aproximadamente o tamanho do Estado de Sergipe, totalizando 21 mil km².
 


As quatro regiões principais


A cidade de Jerusalém, a capital de Israel e a cidade central da história do relato bíblico ela se localiza entre o Mar Mediterrâneo e o Deserto da Arábia ou Ocidental. Israel também está localizada entre o mar e o deserto em uma faixa de extensão de 112 km de largura na latitude e que também se estendem de norte a sul.
 
 
#1 A Planície Litorânea:  Que se localiza na latitude de Jerusalém e tem aproximadamente 20 km de largura.
 
#2 A Cordilheira Montanhosa central:  Na qual a localização de Jerusalém fica numa altitude de aproximadamente 762 metros, e tem aproximadamente 58 km de largura.

 #3  O Vale Tectônico:  Através dele percorre o rio Jordão, que faz parte do sistema do vale tectônico e se estende por 5.900 km desde a África até o sul da Turquia.

 #4  As montanhas Transjordanianas: Essas montanhas tem um forte aclive no lado oriental do vale tectônico e despois descem pausadamente em direção ao deserto da Arábia. O deserto da Arábia ou Ocidental estende-se ao leste aproximadamente 720 km, desde as montanhas transjordanianas até o rio Eufrates.


 
As Estações 

 



Nos tempos bíblicos, Israel era basicamente um país agrícola. Na maioria das vezes, é complicado para quem reside em áreas urbanas perceber o quanto os israelitas dependiam do clima, não apenas os agricultores, mas toda a nação. Quando as colheitas fracassavam, a fome aparecia. Um bom exemplo disso que eu estou te escrevendo e a atitude de desespero de Jacó, que mandou os seus filhos para o Egito para comprar cereais. Vamos ler o relato bíblico registrado em Gênesis 42.1-3.

 
"Sabedor Jacó de que havia mantimento no Egito, disse a seus filhos: Por que estais aí a olhar uns para os outros?. E ajuntou: Tenho ouvido que há cereais no Egito; descei até lá e comprai-nos deles, para que vivamos e não morramos. Então, desceram dez dos irmãos de José, para comprar cereal do Egito".


Outro exemplo foi a oração de Elias para que não chovesse, esta atitude de Elias era mais que um pedido de alguns verões desagradáveis e secos. A falta de chuva para Israel significava fome e desgraça. Vamos ler o relato bíblico registrado em 1 Reis 17.1
 

"Então, Elias, o tesbita, dos moradores de Gileade, disse a Acabe: Tão certo como vive o Senhor, Deus de Israel, perante cuja face estou, nem orvalho nem chuva haverá nestes anos, segunda a minha palavra".


Vamos ler o relato bíblico registrado em 1 Reis 18.41-45


"Então, disse Elias a Acabe: Sobe, come e bebe, porque já se ouve ruído de abundante chuva. Subiu Acabe a comer e a beber, Elias, porém, subiu ao cimo do Carmelo, e, encurvado para a terra, meteu o rosto entre os joelhos, e disse ao seu moço: Sobe e olha para o lado do mar. Ele subiu, olhou e disse: Não há nada. Então, lhe disse Elias: Volta. E assim por sete vezes. Á sétima vez disse: Eis que se levanta do mar uma nuvem pequena como a palma da mão do homem. Então disse ele: Sobe e dize a Acabe: Aparelha o teu carro e desce, para que a chuva não te detenha. Dentro em pouco, os céus se enegreceram, com nuvens e vento, e caiu grande chuva. Acabe subiu ao carro e foi para Jezreel".


O índice pluviométrico médio varia consideravelmente em diferentes partes do país. Vamos ler o relato bíblico em Amos 4.6-8


"Também vos deixei de dentes limpos em todas as vossas cidades e com falta de pão em todos os vossos lugares, contudo, não vos convertestes a mim, disse o Senhor. Além disso, retive de vós a chuva, três meses ainda antes da ceifa, e fiz chover sobre uma cidade e sobre outra, não; um campo teve chuva, mas o outro ficou sem chuva, se secou. Andaram duas ou três cidades, indo a outra cidade para beberem água, mas não se saciaram; contudo, não vos convertestes a mim, disse o Senhor".


Em alguns anos, algumas regiões podem ficar sem chuva durante quatro ou cinco semanas consecutivas nos meses de janeiro e fevereiro, geralmente são os meses mais chuvosos do ano em Israel.
 
 
Nas regiões em que a média anual total é de 300 a 400 mm, não existe nenhuma garantia de que os cereais cresçam, pois devido uma variação de 250 a 375 mm pode provocar uma desgraça. Nas áreas com um alto índice pluviométrico, os agricultores podem semear e colher a cem por um. Vamos ler o relato bíblico em Gênesis 26.12
 
 
"Semeou Isaque naquela terra e, no mesmo ano, recolheu cento por um, porque o Senhor o abençoava".

 
Entretanto, mesmo uma série de anos de seca pode ser devastadora, e que no passado poderia afugentar as pessoas da terra. Vamos ler o relato bíblico em Gênesis 12.10.


"Havia fome naquela terra; desceu, pois Abrão ao Egito, para ai ficar, porquanto era grande a fome na terra".


Os israelitas sabiam que Iavé, um dos nomes de Deus em hebraico e que significa Senhor em português, mantinha continuamente os olhos sobre a terra, desde o inicio do ano até o fim, e que a obediência aos mandamentos de Deus trariam bênçãos; entretanto, a desobediência aos mandamentos de Deus provocaria a seca e a calamidade. Vamos ler o relato bíblico em Deuteronômio 11.8-17.
 
 
"Guardai, pois todos os mandamentos que hoje vos ordeno, para que sejais fortes, e entreis, e possuais a terra para onde vos dirigis, para que prolongueis os dias na terra que o Senhor, sob juramento, prometeu dar a vossos pais e á sua descendência, terra que mana leite e mel. Porque a terra que passais a possuir não é como a terra do Egito, donde saíste, em que semeáveis a vossa semente e, com o pé, a regáveis como uma horta; mas a terra que passais a possuir é terra de montes e de vales; da chuva dos céus beberás águas; terra de que cuida o Senhor, vosso Deus, os olhos do Senhor, vosso Deus, estão sobre ela continuamente, desde o princípio até o fim do ano. Se diligentemente obedecerdes a meus mandamentos que hoje vos ordeno, de amar o Senhor, vosso Deus, e de servi-lo de todo o vosso coração e de toda a vossa alma, darei as chuvas da vossa terra a seu tempo, as primeiras e as últimas, para que recolhais o vosso cereal, e o vosso vinho, e o vosso azeite. Darei erva no vosso campo aos vossos gados, e comereis e vos fartareis. Guardai-vos não suceda que o vosso coração se engane, e vos desvieis, e sirvais a outros deuses, e vos prostreis perante eles; que a ira do Senhor se acenda contra vós outros, e feche ele os céus, e não haja chuva, e a terra não de a sua messe, e cedo sejais eliminados da boa terra que o Senhor vos dá".


Entretanto, levando em consideração as incertezas quanto á quantidade e distribuição das chuvas, não é de se estranhar que alguns israelitas fossem tentados a participar do culto a Baal, o deus cananeu das tempestades, que segundo se acreditava, trazia fertilidade á terra.
 
 
O ano em Israel está dividido em duas estações principais: a estação chuvosa entre outubro até abril e a estação seca entre junho até setembro, separadas entre si por meses de transição.


A Estação seca: O verão entre Junho à Setembro





 
Em oposição ás condições climáticas sempre mutáveis de muitas partes da América, as condições em Israel durante os meses do verão são relativamente estáveis. São dias de calor e noites mais frescas são a regra e quase nunca chove. Em Jerusalém, a temperatura máxima diurna em agosto mantém-se, em média, 30 graus, e a mínima noturna em média de 18 graus.

 

Os dias de verão são relativamente sem nuvens, na realidade, Israel é um dos países mais ensolarados que existe no mundo. Em um dia típico de verão, as temperaturas começam a subir imediatamente depois do nascer do sol. Dentro de pouco tempo, uma brisa marítima refrescante começa a soprar do oeste.

 

Depois de passar pela planície costeira, chega até Jerusalém, nas montanhas, por volta do meio dia, e seu efeito refrescante impede que a temperatura suba de modo significativo durante as horas da tarde. Em geral, porém, a brisa não atinge a Jordânia senão algumas horas depois do meio dia, desse modo as temperaturas ali continuam a subir durante boa parte do dia. Nos meses do verão, amadurecem as uvas, os figos, as romãs, as azeitonas, os melões e outros produtos.

 

O orvalho do verão, e os sistemas profundos de raízes levam a essas plantas a necessária umidade. A maior parte das frutas é colhida em agosto e setembro. Durante o verão, os pastores levam seus rebanhos de ovelhas e de cabras para o oeste, deixando-os alimentar-se com o resto do trigo e da cevada que foram ceifados na primavera. Como o solo fica seco durante os meses do verão, é relativamente fácil viajar.

 

Na Época da Bíblia, as caravanas e os exércitos atravessavam com facilidade a maior parte do país, e os exércitos se serviam de suprimentos abundantes de cereais que tiravam da população local.




A primeira estação de transição de Setembro à Outubro
 



A primeira estação de transição, de setembro a outubro, marca o fim das condições estáveis e secas de verão. É a estação da colheita das frutas, e os agricultores começam a aguardar ansiosamente o inicio da estação chuvosa. No outono, a navegação no Mar Mediterrâneo era perigosa e continua assim no decorrer dos meses de inverno. Vamos ler o relato bíblico em Atos 27.9-10.

 
 
"Depois de muito tempo, tendo-se tornado a navegação perigosa, e já passado o tempo do Dia do Jejum, admoestava-os Paulo, dizendo-lhes: Senhores vejo que a viagem vai ser trabalhosa, com dano e muito prejuízo, não só da carga e do navio, mas também da nossa vida".



A estação chuvosa o inverno de outubro a abril A estação chuvosa, entre outubro a abril, é caracterizada por tempestades esporádicas procedentes do mar Mediterrâneo, que normalmente trazem três dias de chuvas seguidos por vários dias de tempo seco, embora sejam frequentes os desvios dessa norma.
 
 

No mês de janeiro, a temperatura média diurna e de 10 graus. Jerusalém recebe neve apenas uma ou duas vezes por ano, mas esta raramente permanece no chão mais que um dia. Entretanto, as temperaturas frias, combinadas com o vento e a chuva, podem tornar a vida desconfortável nas regiões montanhosas esse e um desconforto que as pessoas suportam com um bom ânimo por causa do poder vivificante das chuvas de outono entre outubro e dezembro terem amaciado a terra dura, cozida pelo sol.
 
 

Os cereais crescem de dezembro a fevereiro, esse é um período em que as chuvas diminuem 75% e continuam a amadurecer em março e abril, enquanto as chuvas vão chegando ao fim. As chuvas do período de primavera são importantes para a produção de grandes colheitas. A chuva e tão importante que o idioma hebraico tem várias palavras para ela, cada uma se referindo a uma parte diferente da estação chuvosa. Vamos ler Deuteronômio 11.14. Vou parafrasear mesclando as palavras no idioma português e hebraico para você entender melhor.

 
 
“então, no devido tempo, enviarei chuva...”, em hebraico essa chuva significa mãtãr que se refere à chuva dos meses de dezembro a fevereiro sobre a terra, chuva de outono a chuva de outono a palavra hebraica para essa chuva é yôreh, e se refere aos meses de outubro a dezembro. De primavera a palavra hebraica para chuva de primavera é malgôch, e se refere as chuvas dos meses de primavera de março a abril. "...para que vocês recolham o seu cereal, e tenham vinho novo e azeite".



A segunda estação de transição entre Maio e Junho 
 



A segunda estação de transição dura de maio até junho. As temperaturas sobem gradualmente, e a estação é pontilhada por uma série de dias quentes, secos e poeirentos durante os quais os ventos sopram dos desertos dos leste e do sul.
 
 
Nesses dias, que receberam os nomes dos ventos que vem do leste da palavra hebraica hãmsîn, e o vento do sul recebeu o nome hebraico de shãrav que aparece na maioria das traduções da bíblia no idioma português como sirocco, a temperatura frequentemente sobe 14 graus acima do normal, e a umidade relativa do ar pode cair até 40% as condições dos ventos.

 
A palavra ventos em hebraico significa hãmsîn também é usado no idioma hebraico para identificar ventos vindo de todas as direções, ou seja, esses ventos podem ser muito debilitantes, tanto para os seres humanos tanto para os animais, e secam totalmente as belas flores e relvas que cobrem a paisagem durante os meses do inverno. Vamos ler o relato bíblico em Isaías 40.7-8.
 

 
"Seca-se a erva, e caem as flores, soprando nelas o hálito do Senhor. Na verdade, todo o povo é erva, seca-se a erva, e cai a sua flor, mas a palavra de nosso Deus permanece eternamente".


 Entretanto, o efeito positivo desses ventos é que o tempo quente e seco ajuda no amadurecimento dos grãos ao fixar o seu estado antes da colheita. É nessa estação que se faz primeiramente a colheita da cevada e depois a colheita do trigo.
 

Fonte: Manual Bíblico de Halley Editora Vida.
Tradução Bíblica: (ARA) Almeida Revista e Atualizada da Editora Sociedade Bíblica do Brasil
Frase extraída do site Elite Lembra.






 

Nenhum comentário

© No Teu Altar - 2017. Todos os direitos reservados. Reprodução do conteúdo somente com autorização por escrito. Web Design: Garota Criativa. Inicio NTA