maio 08, 2017

Os atributos de Deus - 18 características de sua personalidade

 



Conhecer caráter de Deus é muito importante para nós cristãos. Deus deseja que seus servos O conheça profundamente, para que possamos servi-lo como Ele quer, com uma adoração real não baseada na ignorância e no "achômetro".


Deus tem 18 características em sua personalidade que chamamos de Atributos. Hoje vamos apresentar a vocês esses atributos para que você venha obter mais e mais conhecimento de Deus. As referências abaixo serve para testificar a você que lê este post que esses atributos de Deus são reais.


 
 
#1 - ESSÊNCIA DA GRAÇA
 


 
 
Graça e misericórdia são gêmeas fraternas. Graça denota benevolência, bondade e benefício, oferecendo favor a alguém que não merece, inclui imerecido aceitação e amor incondicional.


A graça inclui: Salvação (Ef 2.8), adoção (Ef 1.5), direito à herança (Ef 1.11), cidadania divina (Fp 3.20), santidade (Ef 1.4), acesso a Deus (Ef 2.18), perdão (Ef 1.11), preparação para o serviço (1 Pe 2.5-9), habitação do Espírito Santo (Ef 1.13), armadura de Deus (Ef 6.10-11) e muito mais, por isso a graça é chamada de multiforme (1 Pe 4.10).

 
 


#2 ELE É A VERDADE
 



 
Cada palavra que sai da boca de Deus é verdadeira (Jo 17.17). Ele é incapaz de dizer uma mentira (Hb 6.17-18), e nunca, jamais se engana (Dt 32.4). Deus conhece todas as coisas como são e vê tudo o que aconteceu, já sabendo do que acontecerá (Is 46.9-10).


A verdade está tão identificada em Deus que Jesus mesmo afirmou: "Eu sou...a verdade"
(Jo 14.6). O fato de Deus ser a verdade está baseado na fé, porque oposto de fé em Deus é chama-lo de mentiroso (Rm 3.4). Deus é inteiramente confiável e correto.

 


 
#3 ELE É AMOR



 
 

O amor não é uma definição de Deus - Ele é infinitamente maior -, mas Deus é a definição de amor, sem Deus o amor não existiria (Jo 3.16; 1Jo 4.8-10). O amor bíblico é ativo; não é egoísta.


O amor de Deus é iniciativa divina (1 Jo 4.10), é indestrutível (Rm 8.38-39), imerecido (Rm 3.23), compassivo (Is 49.15), constante (Jr 31.3), imensurável (Ef 3.18-19), voluntário (Rm 5.8), e um dom (Jo 3.16). Deus não começou amar na cruz, nem nos amará amanhã do que nos ama hoje. O alvo do amor de Deus é ter-nos juntos a si durante toda a eternidade (1Jo 4.16).
 
 


 
 
#4 ELE É BOM
 

 
 
Deus não é apenas bom, ele é o Criador da bondade (Gn 1.31) A bondade não é inata em nós; não existe fonte de bondade além de Deus (Sl 16.2; 119.68). A bondade de Deus é pura sem nenhuma insinuação de mal nem de neutralidade. Jesus define bondade numa palavra - DEUS (Mt 19.16-17).


Deus é rico em bondade e generosidade (Sl 84.11). Deus não dá nada por obrigação, Ele nos dá por causa da sua bondade, a bondade é para vida e também para eternidade (Sl 31.19), Ela dá esperança (Sl 27.13), leva ao arrependimento (Rm 2.4), e gera ações de graça (Sl 136.1), Deus iniciou uma boa obra em cada crente e comprometeu-se a completar sua obra (Fp 1.6).

 
 

 
#5 ELE É CIUMENTO

 
 
Ciúmes denota zelo, paixão pensamento exclusivo. O ciúmes de Deus não cobiça algo que pertence a outra pessoa, mas preserva algo que lhe pertence. Exatamente como deve ser o relacionamento entre marido e mulher no casamento deve ser exclusivo, assim Deus deseja, um relacionamento exclusivo com seu povo (Êx 34.27).



Ter a vida e o coração entrelaçada com o mundo é cometer um tipo de adultério (Tg 4.4-5). Deus considera isso uma aversão (Êx 20.5), uma prostituição com o maligno (1Co 10.21-22), A consequência do adultério espiritual é um relacionamento duro com Deus (Sl 78.56-60). Somente ele é Deus, adorar outro deus é traição. Deus leva o relacionamento com seu povo muito a sério, devemos agir da mesma forma.




 
 
#6 ELE É ETERNO

 
 
Deus não tem início e nem fim. Ele é o único ser que existe por si mesmo. Ele existe antes do tempo da criação (Sl 90.2). Tudo o que é relacionado a Deus é "sempre" (Sl 102.12). Ele não teve juventude, não tem idade e jamais será idoso (Hb 1.10-12).


Deus é quem rege tudo, é o Senhor do tempo, o tempo não tem poder sobre Deus (Sl 90.4-6). A eternidade é a sua assinatura (Is 63.16). Ele simplesmente "é", ao contrário das criaturas que tem seu tempo para nascer e morrer, tudo o que existe depende dele (Cl 1.15-17).

 



 
#7 ELE É FIEL

 
 
A fidelidade de Deus é um compromisso de sua parte, sendo tão certo quanto o aparecimento do sol e da lua no céu (Sl 89.2,5,36-37). Não importa o que aconteça, qualquer hora do seu dia Deus está ali. O significado original de fidelidade (emunah em hebraico) é certeza e segurança (Lm 3.23). A fidelidade descreve quem Deus é  (1Co 1.9). Não importa o que você faça, Deus não pode nunca ser infiel, porque não pode negar a si mesmo (2Tm 2.13), Ele é digno de confiança, mantendo as suas promessas (Hb 10.23).



A presença de Deus é assegurada, mesmo que não percebamos; A sua fidelidade é manifestada através da sua proteção (1Ts 3.3), misericórdia (Sl 89.2), preservação (1Ts 5.23-24), amor (Rm 8.35-39) e disciplina (Sl 89.32-33), ela é revelada em sua promessas (Js 23.14), Consolo e encorajamento.



 
 
#8 ELE É IMUTÁVEL



Ser imutável é aquele que jamais muda, não importa se o mundo vive no pecado, Deus é aquele que permanece Santo, seu caráter é irrepreensível e jamais muda. O cristão pode ter certeza de quem é Deus é: Seu caráter, verdade, caminhos, propósito, amor e promessas jamais mudam (Is 46.9-11).


Ele nunca foi menos e nem será mais do que é (Mt 3.6). O ser humano é inconstante, ele muda constantemente por falta de adequação, falta de conhecimento, por mudança de circunstâncias ou perda de interesse. Deus não faz nada parcialmente (Is 41.4), nunca muda de humor (Hb 13.8), nem deixa seu amor (Jr 31.3), seu entusiasmo esfriar (Fp 1.6).


Sua atitude com o pecado é o mesmo demonstrado no jardim do Éden, e seu amor é o mesmo demonstrado na cruz (Rm 5.17). Isso significa que ele jamais muda seus planos, seus pensamentos e os designíos de seu coração.



 
 

#9 ELE É JUÍZ



Um deus que não julga é um deus imaginário. Deus julga. As pessoas fazem de tudo para amenizar o juízo de Deus, se desculpar-se por ele e até mesmo dispensá-lo em suas explicações. O juízo é parte intrigante da história redentora, como pode ser visto na queda (Gn 3.14-19), no dilúvio (Gn 6. 5-7), nas pragas (Êx 3.19-20; 7.5; 11.4-5), na conquista (Js 3.10), na destruição de Israel (2Rs 17.5-23), na destruição de Judá (2Rs 25.1-21), na grande tribulação (Mt 24.21-22) e no grande Trono Branco de Julgamento (Ap 20.11-15). O juízo é necessário.



A sociedade reconhece que um juiz que não julga é digno de escárnio.
O julgamento de Deus é verdadeiro e justo (Sl 19.9), imparcial (Rm 2.11), perfeito (Sl 19.7), e completo (Ap 15.1). Todo pecado começa quando queremos ser iguais a Deus (Gn 3.5-6) e essa atitude proposital é julgada (Is 14.14-15).





#10 ELE É LONGANIMO




O julgamento de Deus é certo (Ap 19), mas Deus é longânimo porque seu julgamento não é imediato, ele da chance, ele espera (Is 42.14-16), não para ver o que acontece porque ele sabe o que vai acontecer, porque ele conhece todas as coisas até mesmo antes que elas aconteçam.


Longanimidade não é ausência de ira, mas o tardar em irar-se (Sl 145.8). A longanimidade mostra um poder infinito, misericórdia, paciência e amor - O que ele tem em abundância (Nm 14.18). Durante algum tempo Deus pode tolerar insultos, rejeição, e indiferença com o intuito de levar a pessoa ao arrependimento (Rm 2.4).





#11 ELE É MISERICORDIOSO
 
 
 

A misericórdia difere da graça porque a graça dá o que não merecemos, já a misericórdia dá o que é merecido. A misericórdia é a compaixão em ação para com os pecadores, que não tem nenhum direito ou alegação de receber esse tratamento (Ef 2.4-9). A misericórdia é apenas para os pecadores, os anjos não sabem o que ela significa, pois não precisam dela.



A misericórdia está disposto a todos apenas por intermédio do sacrifício de Jesus na cruz. A misericórdia de Deus é grande (1Rs 3.6), terna (Lc 1.78), abundante (1Pe 1.3), e eterna (Sl 103.17). As consequências da misericórdia são: Perdão, restauração e louvor daqueles que a recebem.





#12 ELE É ONIPOTENTE



Deus pode fazer qualquer coisa e faz o que deve ser feito. Deus não pode mentir (Tt 1.2), ele não pode ser tentado e não pode tentar ninguém para o mal (Tg 1.13), Ele não pode ter comunhão com o pecado (Hc 1.13). Todas essas coisas são perfeições do seu poder. Deus é a fonte de seu próprio poder, quem mais pode criar todas as coisas com palavras? (Sl 33.9).



Se Deus não fosse Todo-Poderoso, sua misericórdia seria apenas piedade ineficaz; sua justiça seria uma ameaça vazia, seu amor pura frustação. O poder supremo já foi cobiçado por anjos e homens, mas o trono está ocupado (Ap 4.2-3), e o Rei não corre risco algum de ser deposto (Sl 93.2-4), Deus Reina sem rivais (Sl 86.8-10).





#13 ELE É ONIPRESENTE
 
 


Não existe nenhum lugar sem Deus, nenhum lugar além dele (2Cr 6.18); ele está em todos os lugares ao mesmo tempo (Ef 4.6), Deus não é limitado por lugares nem por pessoas e não depende deles (Jr 23.23-24). A presença universal de Deus abrange todo o espaço - estende-se a todos os pontos geográficos do mundo, a criação e a todas as situações humanas. D



eus é diferente de sua criação, que como Criador deu existência a tudo (Gn 1.31). Jesus revela como é a presença de Deus. Em um universo criado com tanta energia e prodígios, a paixão de Deus era e é ter um relacionamento com todos os homens e mulheres (Jo 1.1-18). Deus não fica entrando e saindo de nossas vidas, pelo contrário, nós vivemos, nos movemos e existimos nele (At 17.27-28; Fp 1.6).





#14 ELE É ONISCIENTE




Deus conhece tudo desde a eternidade passada como a eternidade futura, Ele não aprende com ninguém, nunca é pego de surpresa e jamais se esquece (Is 46.9-10). Deus conhece sua criação até nos mínimos detalhes.


Ele dá nome as estrelas (Sl 147.4-5), equilibra as nuvens (Jo 37.16), rastreia o movimento dos oceanos (Jó 38.16), veste os campos (Mt 6.28) e sabe o que ocorre com cada criatura a cada momento (Mt 10.29). Deus conhece cada ser humano em detalhes (Sl 33.15), seu passado (Ap 2.2-3), para onde vai, o que faz, o que pensa em fazer e todas as suas motivações (Sl 33;13-15; 1Sm 16.7).




#15 ELE É PESSOAL



Deus é um ser supremo, um Deus vivo, que fala, ama, sente e alcança o homem no seu pecado. Apesar dele ser Espírito (Jo 4.24), Ele tem intelecto (1Co 2.10-11), vontade (Dn 4.35), emoções (Dt 4.21,24) e se comunica conosco (Jó 22.21-22; Pv 2.6).



Deus tem usado todo o tipo de relacionamento de compromisso pessoal que conhecemos para revelar-se a nós: Marido, pai, mãe, irmão, noivo, pastor, criador e designer, rei, sustentador, protetor, professor, conselheiro, amigo, médico, dono, servo e comandante militar. A comunicação máxima de Deus conosco é Jesus. Apenas o Deus da Bíblia é o Deus vivo, ele não foi feito por mãos humanas.



 
 

#16 ELE É SANTO



Deus não é um entre muitos, ele é o primeiro e o único (Is 40.25). A palavra santo (qadosh em hebraico), significa ímpar, separado diferente dos demais. A santidade de Deus é um poderoso estudo de contraste, a tripla repetição dos serafins "santo, santo, santo" expressa um grau superlativo.


Santidade não é o que Deus faz, mas o que ele é, todos os atributos de Deus fluem de sua santidade, por essa razão ele é incapaz de um mínimo sinal de impureza, iniquidade, falsidade, injustiça, ou uso questionável de poder (Gn 18.25).





#17 ELE É JUSTO



Deus sempre faz o que é certo (Sl 18.30). A ideia de justiça é ser reto, um comportamento correto em plena conformidade com os padrões éticos e morais. Deus é o padrão de justiça, seus caminhos são justos, ele ama seus padrões e nunca se desvia deles. (Sl 145.17; 45.7; 1Jo 1,5).


A justiça de Deus é imutável, em outras palavras é inegociável, sua justiça é acompanhada de seu julgamento, Ele é o perfeito juiz - justo, correto e coerente.  Um dia seremos vestidos de coroa de justiça, chegará o dia em que irá sempre querer e ser capaz de viver de um modo justo (Ap 19.8).






#18 ELE É SOBERANO



Somente Deus não presta contas a ninguém, ele é supremo em poder, posição, autoridade, virtudes, decreto e obras (Sl 115.3). A palavra Soberano designa somente ele (Dt 4.39). Tudo depende de Deus (Cl 1.16-17), mas ele não depende de nada.


Tudo vem dele, mas ele não veio de lugar algum. Ele é o "EU SOU" (Ex 3.14), aquele que é único (Is 43.10-11). Uma vez que tudo vem dele, Deus tem o direito de exercer sobre ela a autoridade suprema e de fazer como lhe aprouver (1Tm 6.15; Sl 135.6), Ele não precisa de conselho de ninguém. O título "Rei dos reis" significa exatamente isso. Deus está intimamente envolvido na vida de cada um e reina sobre o universo de maneira completa e perfeita (Is 40.21.28).



Ao término dessa postagem, chego a conclusão de que Deus é fantástico, se já sabia disso, agora tenho certeza, e fico feliz em conhecer um pouco mais de Deus e compartilhar com vocês essas informações. Vale a pena servir a Deus, ser fiel, fazer sua vontade e vê-lo feliz e satisfeito com nossas vidas. Escrevendo sobre o seu atributo acima sobre graça, vejo agora porque que a Bíblia diz que somente a sua graça me basta.



Espero que Tenha gostado do nosso assunto de hoje, não deixe de compartilhar nossos conteúdos para que mais pessoas possam conhecer a Deus, nos seguir nas redes sociais. Nossas postagens estão meios escassas na semana porque estamos trabalhando num projeto novo que estreia em breve para vocês. Fique na paz de Cristo!






Hey,

O que você achou deste conteúdo? Conte nos comentários. E aproveite também para nos seguir nas redes sociais como: Facebook | Instagram | Google + | YouTube | Assinar Feed



 
Foto: Pixabay
Ref. Bíblica: JFA




 

Nenhum comentário

OUÇA NOSSO PODCAST

© No Teu Altar - 2017. Todos os direitos reservados. Reprodução do conteúdo somente com autorização por escrito. Web Design: Garota Criativa. Inicio NTA